Pesquisar neste blog

Origem das Visitas

AROLDO FILHO

https://www.facebook.com/DelfosJornal GRUPO AROLDO FILHO NO FACEBOOK

terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

Por trás da notícia – As perdas estonteantes do PT: os casos do Rio e de Porto Alegre....Por Políbio Braga

Por trás da notícia – As perdas estonteantes do PT: os casos do Rio e de Porto Alegre

Foi de causar espanto a medíocre votação do candidato do PT à prefeitura de Porto Alegre, que não conseguiu alcançar a casa dos dois dígitos, algo jamais visto desde que o Partido disputou as primeiras eleições diretas em Porto Alegre, 2005. O resultado não foi resultado apenas da herança maldita deixada pelos 16 anos de governo do PT (leia o livro do editor, “Herança Maldita – os 16 anos do PT em Porto Alegre). É que também as fracassadas experiências de Olívio e Tarso no governo estadual, mas os escândalos do Mensalão, demonstraram para o eleitor que o Partido não é confiável. Antes mesmo dos portoalegrenses e gaúchos, os cariocas e fluminenses já tinham percebido isto. Nesta quarta-feira, o ex-prefeito do Rio, Cesar Maia, lembrou que o PT -representava desde a democratização até a eleição de 1998- um vetor expressivo na cidade do Rio de Janeiro. Algo entre 15% e 20% dos votos, chegando em 1992 a alcançar 24% dos votos. Em 1996, na eleição para prefeito, obteve 20% dos votos. Mas em 1998, de olho nos acordos e espaços, entregou a cabeça da chapa ao PDT. Venceu com a vice e começou a minguar.

Tentou reerguer-se em 2006 com um candidato orgânico, de forma a marcar seu território. Mas no segundo turno voltou a buscar espaços com o PMDB. Conseguiu e desmontou outra vez. Marcou posição em 2008, mas outra vez no segundo turno optou pelos espaços.Acomodou-se no PMDB com Cabral primeiro e Eduardo depois. Agora, em 2012, ocupou a vice-prefeitura. Mas de sua chapa de 4 vereadores eleitos (3 à esquerda) em 2008, em 2012 nenhum é efetivamente de esquerda. Talvez um também eleito em 2008, pelo trabalho de apoio a população de rua e camelôs que esse realiza. Ensina Cesar Maia: “Uma lição que a esquerda deve ter aprendido: ser filial de partido que sempre combateu, pode até levar os cargos, mas perde seus próprios votos. Para 2014 o PT afirma que terá candidato a governador? Será? Ou vai se acomodar no colchão de cargos que o PMDB oferecerá para tê-lo como parceiro de segunda classe? E..., naufragar de vez no Rio.”
http://polibiobraga.blogspot.com.br/2013/02/saiba-como-o-proprio-governo-tarso.html