Pesquisar neste blog

Origem das Visitas

AROLDO FILHO

https://www.facebook.com/DelfosJornal GRUPO AROLDO FILHO NO FACEBOOK

sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014

NÊMESIS, A DEUSA DA VINGANÇA: MOROS, TÊMIS E ADRASTÉSIA

NÊMESIS, A DEUSA DA VINGANÇA: MOROS, TÊMIS E ADRASTÉSIA




Quem disse que a justiça é cega?

Há um claro erro de atribuir à Justiça a deusa Têmis, Artêmis, Adrastéia (numa versão babá de Zeus noutra filha de Zeus) e outras deusas e de confundi-las entre si e com outras deusas, mas na verdade a deusa que gerou a imagem da Justiça foi Nêmesis, que não era deusa da Justiça mais sim a DEUSA DA VINGANÇA.

Assim como na vida real a justiça adveio da vingança e ela é a deusa da vingança, Têmis por sua vez é a deusa da ÉTICA e não da Justiça como frequentemente é lembrada.

Nêmesis não é cega, mas uma deusa alada, então, cometeu-se outro erro ao criar-se estátuas da Justiça sendo cega.

Justiça vem muito possivelmente de iudicare que significa força, vindo do grego. Já os romanos fizeram uma fusão clara da deusa Diké com Nêmesis e Têmis que gerou Iustitia; por isso hoje se usa o nome Justiça.

A própria deusa Diké já deixa claro que é ela própria já uma versão de Nêmesis, só que em vez dela ser uma deusa primordial fica como sendo a filha de Têmis ao invés de irmã para talvez justificar que a justiça fosse filha da ética, quando na verdade a ética é que é filha da justiça e esta da vingança.

Mas, por outro lado os romanos não cegaram a justiça por um simples erro e sim por imitação do deus Moros, pai das moras, que no começo era apenas uma Mora conhecia como Destino. Moro é conhecido como Destino. Os romanos chamaram as moras de parcas, mas na verdade parco é o nome de um povo que venceu Crasso; daí o tão usado “erro Crasso”, que quem fala isso nem imagina por que o usa.

O erro Crasso refere-se ao erro de Crasso de menosprezar os parcos que  por sua vez dizimaram os romanos com suas flechas ao montar ao contrário em cavalos que pareciam estar em fuga, mas que era apenas uma boa tática de guerra que os romanos jamais preveriam.

Outras imitações claras são:

1 Nossa Senhora das Graças que pisa numa cobra enquanto Nêmesis pisa na cabeça de um homem.

2 São Miguel Arcanjo, que é uma rara figura católica que ao mesmo tempo é arcanjo (um tipo de anjo, mas acima do anjo comum e abaixo do Serafim e do Querubim) e santo. Ele têm asas e empunha uma espada para o alto.

Já o próprio fato de ter asas é a imitação evidente do deus Hórus e da deusa Ísis do egito. Que além das Horas, ainda têm Eros, as horas, Apolo com o seu símbolo que depois passa para o deus cristão, todas as espécies de anjos no cristianismo incluindo São Miguel Arcanjo e Boreas; que é o titã do vento.

Na mitologia celta um deus cego é induzido por Loki a matar Abel, o deus preferido de Odin. Na Grécia Zeus mata o deus-sol Abel por que ele ficaria mais forte já que seus poderes cresciam do nada. No cristianismo Abel é morto por Cain, seu irmão. Esse último parágrafo não tem nada a ver com o que fora dito acima nem com o que será dito abaixo, mas é para lembrar que os ditos “paralelos históricos” na verdade são difusões, cópias, principalmente nas religiões.