Pesquisar neste blog

Origem das Visitas

AROLDO FILHO

https://www.facebook.com/DelfosJornal GRUPO AROLDO FILHO NO FACEBOOK

sábado, 29 de março de 2014

SOBRE A ORIGEM DOS JÊS


SOBRE A ORIGEM DOS JÊS

Ocorreu-me a ideia de que os Jês do Maciço de Baturité desceram para a Guerra dos Bárbaros antes dos Holanda e outras famílias povoarem o Maciço de Baturité por isso não se encontraram as tribos da região devido à dizimação sofrida pela guerra em questão.

Em 2013 um arqueólogo ao ir à Serra do Evaristo confirmou minhas suspeitas de ali ter sido antes uma tribo antes da Guerra dos Bárbaros e quando escravos fugiram dos portugueses fizeram de lá uma comunidade quilombola que não fora achada pelo difícil acesso.

Confirmou-se de ali ter sido uma tribo porque haviam urnas funerárias, um modo muito antigos de muitas tribos indígenas enterrarem seus corpos, dentre elas os Marajoara.

Dos Jês é que formaram tribos como Jenipapos, Paiacus, Canindés, Baturetês, e diversas outras que estão no meio dos chamados Tapiuas pelos Tupis, mas tapuia nunca foi uma tribo indígena e sim significa uma espécie de "Não-Tupi", estrangeiro, bárbaro ou inimigo.

Canindé também é um nome que outras tribos deram a esta pelo fato de amarrarem a cabeça para ficar chata, significando a palavra Canindé ao pé da letra "Cabeça Chata".

Mas, a história dos jês é mais antiga ainda e se espalha por todo o Brasil e além do Brasil na verdade. Agora chamados de Macro-Jês.

sexta-feira, 28 de março de 2014

À LUZ DO NIILISMO



À LUZ DO NIILISMO


Alusão, ilusão en la lux
Nix que não me deixa dormir
Clarão mental que não é frenesi
Litoral: litros de mim que se vão

Clarins, jasmins, querubins
É tudo não
Vão, vapor, vastidão
Não sou russo nem Renato

Disparo, disparate, lirismo inato
Ou bala de arremate sem chá
Xeque d’en passant salutar
Os lunáticos têm razão

O niilismo ultrapassa Nietzsche
Talvez por isso a rima enriste irrite

Ateu Poeta
28/03/2014

sábado, 15 de março de 2014

INEFÁVEL

sábado, 15 de março de 2014

INEFÁVEL



INEFÁVEL

Inefável flor
Meu coração acelera diante de ti
O sol é quimera que queima minha solidão
À tua janela há um mundo vão

Onde não protagonizo
Aprendi a ser Narciso
Para tentar sobreviver
Ícaro se deixou fenecer pelo desir

Agora só me importa o que há de vir
Não cultivo mais o jardim onde nasceste
Nem me importa o teu perfume ímpar
És incógnita, busco aforismos

E não algoritmos
De falso lirismo

Ateu Poeta

15/03/2014

sexta-feira, 14 de março de 2014

CURTA ATEU POETA NO FACEBOOK


CURTA ATEU POETA NO FACEBOOK

(PERSONAGEM FICTÍCIO DA LITERATURA BRASILEIRA)

Sobre:

Ateu Poeta é um dos pseudônimos do personagem Amadeu, que é um dos heterônimos do Historiador Aroldo Filho.

Biografia: 

Ateu Poeta é um dos pseudônimos de Amadeu; um deputado federal boêmio, espadachim, capoeirista e violeiro que é apaixonado pela enfermeira Isadora, a mulher de Heitor; um judoca maior, mais forte e mais arisco que Amadeu.


Amadeu é um vilão que faz duplo papel, lutando por vezes ao lado de Heitor contra males maiores. Mas, a parceria dos dois se rompe pelo mesmo motivo: a disputa pelo coração de Isadora.

Prêmios:

2° e 4° lugares,consecutivamente, no 1° e 2° concursos de poesia da comunidade do Orkut "Vamos Escrever um livro?"(2009 e 2010) com as poesias : Os Anjos Tocam Violino & Sinfonia Magnética.

2° Lugar em concurso de pensamento na comunidade "Grupo de Poesia" no Facebook (2012) com o pensamento: A poesia aceita aquilo que não podemos suportar: a alegria que não cabe no peito e a tristeza que afogaria o mar.

Ateu Poeta, O QUESTIONADOR
14/03/2014

quinta-feira, 13 de março de 2014

UMA NOVA DANÇA

UMA NOVA DANÇA


UMA NOVA DANÇA

A História é feita de páginas viradas
Porque mágoas guardadas não trazem glória
O resto é poesia
Guerra sem fim

Porque viver é lutar
 Mas também fazer alianças
Quando cada andança apascentar
Bailar uma nova dançar

Pelos ares
Sobre o mar
Como se fosse criança
Para se encantar

Com toda a crença na dúvida
A euforia a cavalgar


Ateu Poeta
13/03/2014

quarta-feira, 12 de março de 2014

A PEDIDO DO PLANALTO, ALVES ADIA A VOTAÇÃO DO MARCO CIVIL


A pedido do Planalto, Alves adia votação do Marco Civil da Internet


"Diante do acirramento da crise entre o Palácio do Planalto e partidos da base aliada, o presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), atendeu pedido do governo federal e retirou da pauta de votações desta quarta-feira (12) o projeto do Marco Civil da Internet, espécie de Constituição da rede mundial de computadores.

quinta-feira, 6 de março de 2014

Coruja divina


Coruja divina

Está aí o andarilho solene
que faz de outros momentos
as paixões e excitações
deixando o vil preconceito
que persevera em ser perene.

Num dia de sol ardente que valha
a muralha que por baixo é gigante
não protege seu corpo franzino
num palco de versos ululantes
de bons bordões qual malária.

Afiando a ponta da língua
anabolizada ao som de sereias
poemas escritos em areias
e músicas e rosas e tintas.

Vê-se a razão que não mingua
fala-se em matrimônios – mistérios
infindos sem afins nem começos
assim dá-se o nome de vida.

E lá se foi solene andarilho
buscando a grandeza que ensina
fazendo da vivencia uma causa
na cauda da coruja divina.

André Anlub®
(3/3/14)

quarta-feira, 5 de março de 2014

AERODINÂMICOS

AERODINÂMICOS


AERODINÂMICOS

Cap 1: O SALTO

Você nasceu para voar. Pode aceitar essa verdade ou não. E como eu sei? Bem, meu nome é Dínamo, ou pelo menos foi um dia. Agora prefiro que me chamem Eros. Ou melhor, eu sou um aerodinâmico. 

Um certo dia eu estava na casa dos meus avós maternos e simplesmente me deu aquele impulso e eu abri os braços e sai correndo para fora da casa, dei um pulo e planei um pouco. Minha prima perguntara como eu fiz aquilo, mas eu não saberia responder.

O ano é 2100, e a evolução veio mais rápido do que os cientistas do passado esperavam. Aprendi na escola que o mundo já foi um lugar verde e que a água já fora potável a menos de um século. Que todo esse lixo não estava aqui e que mesmo assim os homens faziam muita guerra. 

Eu moro no ultimo canto verde que restou, o Vale Vulcano, que fica dentro de um antigo vulcão desativado. Muito da História de perdeu no tempo e queimado nas várias guerras. Não sabemos muito como é lá fora, pois o nosso vale produz todo o alimento do qual precisamos. Não existem muitos exploradores e eles fazem um pacto com o rei de não contar para os outros o que veem lá fora.

Por acaso eu acabei descobrindo quando corri mais e mais e acabei planando. Mas um dia o rei mandou me chamar.

_Dínamo, é esse o seu nome?

_Sim, meu rei.

_Eu fui informado de que você tem uma habilidade rara de plainar. 

_De fato. Mas é uma coisa assim quase nada. Meu sonho mesmo era voar como um pássaro. Acho que esse era o sonho dos nossos ancestrais.

_Blasfêmia! Você não é um deus como Eros e jamais poderá voar. Se ainda for pego plainando por aí será preso por traição ao nosso deus!

_Entendo, meu rei.

Naquela ocasião, assim com a corda no pescoço, eu prometi nunca mais tentar voar. Mais aquilo era mais forte que eu e eis que um dia fui até a beira do vale e pulei. E para falar a verdade eu simplesmente cai e cai. Só me veio à mente um pensamento: _É hoje que eu morro!

Ateu Poeta
06/03/2014