Pesquisar neste blog

Origem das Visitas

AROLDO FILHO

https://www.facebook.com/DelfosJornal GRUPO AROLDO FILHO NO FACEBOOK

quinta-feira, 5 de junho de 2014

ENTREVISTA COM O PM FRANCISCO GLAYDSON GOMES DA SILVA



Glaydson é policial da PM em Fortaleza-CE. Sofreu acidente de moto em 2012 num trecho onde poderia haver um semáforo para melhor segurança da via pública.

Aroldo:_Onde, como e quando aconteceu o acidente de trânsito que lesionou você?

Glaydson: _Na alça do viaduto do Mondubim com o Conjunto Esperança, o carro (palio vinho) avançou o que seria a preferencial para os dois que vinha na moto. Sim eu estava com um vizinho que pilotava o veículo. Aconteceu no dia 17/03/2012.

Aroldo:_ Como assim "preferencial para os dois"? No caso o trecho não tem uma preferencial com sinalização correta, é isso?

Glaydon:_ não porque eu estava com outra pessoa na moto, desculpa. A preferencial era nossa, como até hoje é.

Aroldo: _Seu vizinho também saiu lesionado?

Glaydson:_ SIM, ainda. Pouco. A vítima principal sou eu. O carro bateu principalmente na minha perna. Graças á Deus, não teve mais um lesionado. Quem iria ajudar quem?

Aroldo:_ Verdade.

Glaydon:_ Sim. Não minto, pode perguntar, a minha perna ficou feia fratura exposta.

Aroldo: _ Você deu entrada em processo contra quem avançou a preferencial?

Glaydson:_ Graças a Deus pouca coisa, fiz promessa que ainda não cumpri, deu tudo o que o osso poderia calcificar. À perna direita ficou praticamente destruída, o osso ficou estragado pra valer!

Aroldo: _Você deu entrevistas à outros jornais antes e depois do acidente. E se me lembro bem você tinha me relatado um problema de sinalização no local. Não é? Seria bom um semáforo para o local?

Glaydson:_ Sim, antes tinha notado que o trânsito naquela área era caótico, os carros não paravam porquanto da má sinalização e pelo o desrespeito dos motoristas com formação a desejar nos órgãos responsáveis.

Ficaram de colocar por eu dar entrevista num jornal de grande audiência, já acidentado e mostrando novamente a incompetência e alertando do perigo que havia neste trecho.

Aroldo:_ Acredito que caiba processo contra o Estado por danos pessoais e lesão devido ao descaso público. Assim como a sua vida pessoal foi afetada, a sua vida profissional também deve ter sido. Algum conselho para quem enfrenta esse trânsito de Fortaleza diariamente? Alguma consideração final?


Glaydson:_ Tenho respeite as leis de trânsito, logo qualquer pode ser uma vítima dolorosa, que também pode destruir vidas ou transforma-las. Cuidado com o que faz, a vida é feitas de escolhas e uma errada pode transformar vidas.

Aroldo Historiador (Ateu Poeta)
Fortaleza-Maracanaú/CE
Entrevista concedida via Facebook em 06/06/2014