Pesquisar neste blog

Origem das Visitas

AROLDO FILHO

https://www.facebook.com/DelfosJornal GRUPO AROLDO FILHO NO FACEBOOK

quinta-feira, 30 de abril de 2015

Blogz - A Yluzão: 12 cortes para Sartori adotar antes de elevar impo...

Blogz - A Yluzão: 12 cortes para Sartori adotar antes de elevar impo...: Paulo Leonardo Castilho Pires 10 min · Zero Hora Início da conversa no bate-papo alguns segundos atrás Em ...

PROFESSOR MÁRCIO LEVOU UM TIRO NO OLHO NO PARANÁ

PROFESSOR MÁRCIO LEVOU UM TIRO NO OLHO NO PARANÁ
Por: Marcos Antonio (no Facebook)

Vejam isso e compartilhem o máximo que puderem!!! Este é o professor Márcio que leciona Geografia aqui em Londrina e acabou sofrendo um tiro no olho agora pouco por conta de uma polícia despreparada e inconsequente a mando de um governo INSANO, DESESPERADO, DESONESTO, BANDIDO, AUTORITÁRIO e COVARDE!! 

A inversão de valores deixou nossa sociedade de cabeça para baixo onde, professores como nós que ensinamos os filhos dos policiais e de toda a sociedade somos tratados como bandidos, e enquanto isso um governador bandido, deputados oportunistas e bandidos, um judiciário comprado como uma prostituta são os donos do poder!! 

Aonde fomos parar? Que sociedade queremos para nossos filhos? Reflitam sobre isso e nunca mais votem nestes bandidos do PSDB... 

Todo o apoio ao meu colega e companheiro de profissão, o professor Márcio!! 

Que a sociedade e a população nos ajude e se sensibilizem com O SANGUE DERRAMADO pelos trabalhadores da educação e servidores públicos que só querem manter seus direitos intocados, sem nenhum privilégio como os políticos bandidos do Paraná!! 

Abaixo, outros educadores e servidores feridos pela BARBÁRIE e pela EXTREMA COVARDIA.Não há mais adjetivos para se denominar um como este do Paraná. Só acreditamos no que está ocorrendo porque estamos vivenciando estes absurdos!!
________________________________________
Richa e deputados assinam com o sangue dos professores confisco da previdência 
Por: Neto Rodrigues (no Facebook)

Uma cena de guerra e barbárie. É o que posso descrever sobre hoje, no Centro Cívico, em Curitiba. Sem razão aparente, a Tropa de Choque iniciou um ataque aos professores, lançando bombas de efeito moral e soltando cães das raças Rotweiler e Pitbull contra a imprensa, professores e servidores. Houve muita correria e pânico, eram muitos homens. a Tropa de Choque do Bope desceu primeiro, todos de preto, batendo cassetetes contra os escudos, e disparando bombas. A segunda leva de PMs atirava com balas de borracha e a cada passo o que se via eram mais e mais professores caindo pelo chão. A Tropa de Choque agiu com extrema violência e os manifestantes correram para se proteger, um desespero total, homens e mulheres por todos os lados, em fuga, tentando ainda ajudar outras pessoas que já estavam gravemente feridas A polícia não deu trégua, o professor que aparece na foto, identificado como Marcio Henrique, diziam no atendimento, no ambulatório do TJ-PR, é de Londrina, e junto com ele haviam outros dois feridos. A princípio foi ferido por um tiro no olho.

De acordo com dados do Samu, liberados próximo das 17h, oito pessoas ficaram feridas gravemente e outras 150 sofreram algum tipo de ferimento, mas estes números devem subir. É um momento triste para a história do Paraná, novamente os professores são espancados na Praça Nossa Senhora de Salete. O deputado e presidente da ALEP Ademar Traiano disse no meio da confusão que o que estava acontecendo na rua era problema da segurança pública. Os deputados da base do governador como Guto Silva, Paulo Litro, Cantora Mara Lima, Francischini Junior e demais seguiram votando o projeto e não atenderam os apelos de outros deputados de ao menos suspender a votação naquele momento.

Lá fora, uma praça de guerra que chegou a afetar até mesmo as crianças. A creche que fica próximo ao Centro Cívico foi evacuada porque os alunos inalaram gás de pimenta. O mesmo aconteceu no prédio da prefeitura, onde servidores foram retirados por medidas de segurança. Dentro da Assembleia os deputados se recusaram a suspender a votação e, respaldados por Beto Richa que enviou a ordem ao comando da PM para que o confronto fosse iniciado e os manifestantes retirados do local, seguiram com o trabalho da pauta. Uma cena de horror, um dos piores momentos da história do Paraná.

https://www.facebook.com/elias.esser/videos/vb.100000151498508/1044203678928005/?type=2&theater




https://www.facebook.com/photo.php?fbid=439521616225846&set=a.103081246536553.6314.100005040332535&type=1

quarta-feira, 29 de abril de 2015

CENÁRIO DE GUERRA NO PARANÁ



Centenas de professores do estado que protestaram em frente à Assembleia Legislativa do Paraná estão feridos após repressão da PM. O prédio da prefeitura foi transformado em uma espécie de enfermaria. Bombas, balas de borracha e até blindados foram utilizados para reprimir os servidores. As imagens são de guerra 


Mais de 100 pessoas ficaram feridas durante os confrontos da tropa de choque com os professores. Projeto do ParanaPrevidência é aprovado. (Pragmatismo Político) 

Professores e servidores que estão hoje (29) na Assembleia Legislativa para acompanhar a votação de alterações na previdência do funcionalismo foram brutalmente agredidos pela Polícia Militar do governador Beto Richa (PSDB). 

De acordo com o jornal paranaense Gazeta do Povo, que cobre os conflitos in loco, mais de 130 manifestantes estão feridos e oito encontram-se em estado grave. O SAMU divulgou que o número total de feridos é de 150 pessoas. Os que apresentam estado mais grave foram encaminhados para o hospital Cajuru, um deles com traumatismo craniano. 

Foram utilizados blindados, bombas, balas de borracha, cães treinados e até um helicóptero para coibir os servidores. Um veículo do Batalhão de Fronteira do Paraná, que atua a 600km de Curitiba, foi deslocado para reforçar o cerco à Assembleia Legislativa. 

Diversos feridos estão sendo atendidos no meio da rua. O prédio da Prefeitura de Curitiba foi transformado em uma espécie de ambulatório para dar suporte aos atendimentos. 

O gás lacrimogênio utilizado pela PM acabou entrando em um dos Centros Municipais de Educação Infantil (CMEI) do Centro Cívico. Os pais foram buscar as crianças. Segundo o diretor, os alunos ficaram muito assustadas. 

As ambulâncias não foram suficientes e equipes da Guarda Municipal foram acionadas para ajudar no deslocamento dos manifestantes feridos. O prefeito Gustavo Fruet (PDT) disse que até o momento houve 34 pessoas encaminhadas ao hospital e que a ação do governo do estado tem um grau violência desnecessário. “Há dias a prefeitura vem alertando da desproporcionalidade da força.” 

O comandante da Polícia Militar e a Secretaria de Segurança Pública afirmam policiais também ficaram feridos. 

Guerra 

O deputado federal Enio Verri disse que o cenário é devastador e fugiu do controle. “É uma atitude truculenta e absurda, ultrapassada, parece o Brasil do século 19. São trabalhadores organizados fazendo uma mobilização não para conquistar direitos, mas para não perdê-los. Eles (governo) não têm diálogo nenhum com o setor público e ainda por cima mandam colocar a polícia”, afirmou. 

ParanaPrevidência 

Os servidores públicos protestam contra o projeto de lei que promove mudanças no custeio do Regime Próprio da Previdência Social dos servidores estaduais – ParanaPrevidência. 

O projeto foi aprovado em primeiro turno na sessão na tarde de terça-feira com 31 votos favoráveis e 20 contrários. O projeto de lei muda a fonte de pagamento de mais de 30 mil beneficiários para o Fundo Previdenciário. 

Com isso, o governo deixa de pagar sozinho essas aposentadorias e a divide a conta com os próprios servidores, já que o fundo é composto por recursos do Executivo e do funcionalismo. 

(Atualização | 18H20) – Mesmo com a greve e a pressão dos professores na porta da Assembleia Legislativa do Paraná, o projeto que propõe mudanças na Paranáprevidência foi aprovado pelos deputados estaduais. O governador Beto Richa (PSDB) tem maioria governista na casa.

As imagens: