Pesquisar neste blog

Origem das Visitas

AROLDO FILHO

https://www.facebook.com/DelfosJornal GRUPO AROLDO FILHO NO FACEBOOK

sábado, 19 de março de 2011

INTERCÂMBIO CULTURAL

INTERCÂMBIO CULTURAL

1-1o. Arquivo do Nordeste
2-A saga de uma coruja
3-APAIP
4-O SEMPRE

1. 1o. Arquivo do Interior do Nordeste

Em 19 de abril de 2008, nasce em Pacoti o SEMPRE_ Segmento dos Estudiosos da Memória e Patrimônio Regional da Serra de Baturité_, uma associação sem fins lucrativos de direito privado com o objetivo de resgatar a história do município de Pacoti.

A ideia da própria formação do grupo SEMPRE era criar um Arquivo Público Municipal em Pacoti visto que os documentos que contam a história do município carecem restauração e limpeza urgente. Um trabalho que já começou a ser feito quando eu e mais dois estudantes de História  resolvemos dar uma olhada no chamado "Arquivo Morto", encima da "Ilha Digital", no centro.

Elaborei um projeto de lei, juntamente com o estudante de História Francisco Lebi Jucá Sales, e com a Historiadora Maria Rosimar Brito Arruda que foi encaminhado ao prefeito Francisco Rômulo Cruz Gomes, que enviou-o à Câmara de Pacoti em caráter de urgência, depois de devidamente analisado.

Em 15 de maio de 2009, comparecemos à Câmara os 3 Estudantes do curso de História, um deles já formado pela UVA, Joathan Norjosa, trabalhando há algum tempo na limpeza e organização do local, onde estão os documentos por intermédio da Secretaria de Educação.

Nesse dia foi aprovada em sessão oficial a Lei de criação deste que foi o primeiro Arquivo Público a nível de nordeste a ser implantado fora das capitais.

Uma pena ele ter sido fechado o Arquivo Municipal José Audízio de Sousa, em Pacoti, em 2010, quando Levi Jucá fora seu diretor. Fizemos a nossa parte, e a lei que criamos impedia seu fechamento.

Foi um fechamento contra a lei o que a Prefeitura Municipal de Pacoti fez.

Mas, nós não somos polícia. A vida continua. Continuamos com os nossos trabalhos na Associação como a exposição "Pacoti, uma História em documentos", projeto aprovado pelo Banco do Nordeste em 2010 e realizado desde 10 de dezembro de 2010 até o momento.

Hoje, o SEMPRE funciona com uma sala dentro do CAMPUS EXPERIMENTAL DA UECE EM PACOTI, cedida pela pró-reitora de extensão, Dr. Lúcia Helena Fonseca Granjeiro.

2. A saga de uma coruja

A partir de 1987, duas colegas formadas pela UECE em Filosifia, Solange Nojosa e Telma Marques, a primeira sendo filha de Pacoti e a segunda do Estado do Maranhão, realizaram as 1a., 2a. e 3a. Semanas de Educação de Pacoti, onde aconteciam palestras da UECE, UFC e da Secretaria de Educação para os professores.

As duas alugam um prédio da Igreja e fundam a Teia de Renda, pousada que recebe os professores e universitários de Fortaleza em acordo com a prefeitura na gestão do prefeito Rômulo Gomes.

Tarcísio Santiago, na época professor da UFC, faz a doação para o então Centro Cultural, antigo Departamento de Cultura, de uma Hemeroteca, onde hoje é a Secretaria de Cultura. Adísia Sá, do Jornal O Povo, doa para o mesmo Centro, uma biblioteca. Uma professora das redes estadual e municipal, Rosimar Brito, que se graduava pela UVA de Sobral em Estudos Sociais, resolveu, em conversas com Solange e Telma, criar uma Gincana Cultural chamada Coruja Solidária, em 1991. Formou-se, então, um grupo de teatro amador que fazia o chamado todo mês, de maio a dezembro, com exceção de julho, para os 3 dias de atividades.

O famoso Grupo Coruja, que contava com integrantes das escolas: Instituto Maria Imaculada, Centro Cultural São Luís e da Escola de 1o grau Menezes Pimentel. Telma Regina Marques foi a 1ª Diretora de Cultura deste município e Maria Rosimar Brito Arruda a 2ª (na gestão do prefeito Pedro Brito); criou e organizou por muitos anos o 1º Festival de Quadrilhas.

A última aparição do Grupo Coruja foi em 1997, na gestão do prefeito Edson Araújo, para a inauguração da Galeria Raimundo Siebra; onde acontecem várias exposições, dentre elas o projeto "O Pacoti visto por suas crianças", com a escolha dos melhores desenhos dos estudantes em todo o município.

3. APAIP

No ano de 2001, nasce em Pacoti um grupo chamado APAIP_ Associação de Poetas e Artista Independentes de Pacoti_, que chegou a conter 13 integrantes. A maioria fez parte da Gincana Cultural "Coruja Solidária" e se encontrava na sala de aula. Dentre os poetas, Rosimar Brito, uma professora de História pós-graduada em Administração Escolar.

Dois outros poetas ainda iniciaram o curso pela UVA, um deles não pode continuar, mas o outro se formará em 2010, Eu. O último, juntamente com 3 professores que foram da APAIP participaram da fundação do SEMPRE_ Segmento dos Estudiosos da Memória e Patrimônio Regional do Maciço de Baturité

. 4. O SEMPRE

O SEMPRE existe por que um universitário da UFC, nascido no município de Maracanaú, resolveu escrever sua monografia sobre Pacoti, quando soube de parentes seus residindo na serra.

Quando se apresentou à professora Rosimar Brito, em conversas sobre o Grupo Coruja, resolveu criar um grupo denominado Pendência Serrana, a equipe de destaque da Gincana Cultural, que na época saiu em um artigo do Jornal "O Povo" com o título: "Uma coruja contra Chico Buarque".

Em discussões no grupo Pendência Serrana, duas ideias minhas se mostraram firmes, e ganhavam mais força: o arquivo e a associação que hoje conta com 56 sócios dentro e fora de Pacoti. O grande anseio é salvar os documentos para re-escrever o possível da História, juntando, para isso, as fontes documentais com as extra-oficiais dos nosso "Arquivos-vivos". Se não restaurarmos a História hoje, amanhã não saberemos quem somos.

ATEU POETA