Pesquisar neste blog

Origem das Visitas

AROLDO FILHO

https://www.facebook.com/DelfosJornal GRUPO AROLDO FILHO NO FACEBOOK

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2012

O culto ao Canabalismo e o CARNAVAL como forma Orgiástica como Cultura Egipcia


profeta gentileza 17:12 - Amigos
Festa da Carne = CarnaVAL = Canibal = Canibalismo = Homem Primitivo.....
profeta gentileza - Homem Moderno = Homem do século XVIII

 o
Homem Pós Moderno é o que está além dos velhos conceitos que alienam o povo e a mente.....
profeta gentileza - estes conceitos foram formulados no século XVIII para exercer o seu papel no seculo XIX. E assim o mesmo homem Moderno do século XXI segue o mesmo parâmetro de alienaçao MENTAL.......

Carnaval, Carne Vale, Carrum Navalis...

Cumplicidade com o pecado...
O carnaval é uma festa profana criada desde a Antiguidade, de acordo com historiadores esta festa é destinada a celebração, veneração e adoração de deuses gregos, especialmente Baco, o deus do vinho e da embriaguez. A origem da palavra carnaval é carrum navalis (carro naval). Essa etimologia, entretanto, já foi contestada. Atualmente a mais aceita é a que liga a palavra "carnaval" a carne vale, ou seja, adeus à carne, uma espécie de último momento de alegria e festejos profanos antes do período triste da quaresma.
Em outras palavras, faz-se tudo que a carne quer e deseja o que inclui drogas, prostituição, adultérios, encontros irresponsáveis e fortuitos, álcool a ponto de embriagar e levar o indivíduo a brigar, matar e destruir-se, depois põe um pouco de cinzas a testa e já esta tudo bem. Quando o cristianismo chegou já encontrou esta festa, dita orgiástica, no uso dos povos. 
 Pelos seus caracteres libertinos e pecaminosos, foi a princípio condenada pela Igreja Católica. Porém, em 590 d.C. ela própria oficializou o carnaval dando origem ao “carnaval cristão”, quando o Papa Gregório I, o Grande, marca definitivamente, a data do carnaval no calendário eclesiástico. A partir de então, a Igreja tolerou melhor a festa e até passou a estimulá-la. Com o Papa Paulo II (1461-1471) foi organizada a festa de carnaval, com a promoção de corridas de cavalos, anões e corcundas, lançamentos de ovos, etc. Em 1582, o Papa Gregório XII promoveu a reforma do calendário Juliano, passando a se chamar Juliano Gregoriano, em uso até hoje pelos católicos, e estabeleceu em definitivo as datas do carnaval. Nos períodos de repressão pela Igreja, a festa do carnaval sempre acontecia, quando os noviços organizavam a “festa dos bobos” em 28 de dezembro.
Durante o evento elegia-se um bispo ou “abade dos bobos”. Realizavam danças na Igreja e na rua, procissão e missa simulada. Nesse momento os clérigos usavam máscaras e roupas de mulheres, ou vestiam os hábitos de trás para frente, seguravam o missal invertido (livro que contém as orações da missa), jogavam cartas, cantavam cânticos imorais e falavam mal da congregação................


Trechos do blog....: http://www.adbelgica.com/mensagens/estudos_biblicos/carnaval-carne-vale-carrum-navalis

Mais adiante segue um trecho do blog......:
http://www.passeiweb.com/saiba_mais/voce_sabia/origem_carnaval

Segundo definição genérica, o carnaval é uma festa popular coletiva, que foi transmitida oralmente através dos séculos, como herança das festas pagãs realizadas a 17 de dezembro (Saturnais - em honra a deus Saturno na mitologia grega.) e 15 de fevereiro (Lupercais - em honra a Deus Pã, na Roma Antiga.). Na verdade, não se sabe ao certo qual a origem do carnaval, assim como a origem do nome, que continua sendo polêmica. 

Alguns estudiosos afirmam que a comemoração do carnaval tem suas raízes em alguma festa primitiva, de caráter orgíaco, realizada em honra do ressurgimento da primavera. De fato, em certos rituais agrários da Antigüidade, 10 mil anos A.C., homens e mulheres pintavam seus rostos e corpos, deixando-se enlevar pela dança, pela festa e pela embriaguez.

Outros autores acreditam que o carnaval tenha se iniciado nas alegres festas do Egito. É bem verdade que os egípcios festejavam o culto a Ísis há 2000 anos A.C.

Em Roma, realizavam-se danças em homenagem a Deus Pã (as chamadas Lupercais) e a Baco (ou Dionísio para os gregos). Rituais Dionisíacos ou Bacanais.