segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Quão a Lagarta

O amor sempre irá perseverar... Onde houver verdade
Como chuva caindo sem querer... Molhando com a mais bela intenção
Regando e fazendo vida
Revigorando a criação.

O amor acontece...
Sendo o ser autônomo
Como a lagarta que se torna borboleta
A beleza de dentro para fora
Aflorando na certeza de sua sensatez.

André Anlub