Pesquisar neste blog

Origem das Visitas

AROLDO FILHO

https://www.facebook.com/DelfosJornal GRUPO AROLDO FILHO NO FACEBOOK

terça-feira, 3 de abril de 2012

A TAL DA EDUCAÇÃO



O que, na verdade, é educar?

Uns dizem que cultivar o espírito, como transformar as tábuas rasas em páginas pintadas a ouro. O maior tesouro será enterrado com seu dono. Já ouvi palavras proferidas por ilustres mestres da arte de instruir, ensinar. Pensei nos cães adestrados e nos domadores de leões, nos cavaleiros e seus cavalos e em vários rebanhos seguindo pastores... sem contar nos bois de piranhas.

A sociedade é algo que vive se transformando, com ela todas as instituições inseridas no contexto. A educação é a forma onde se molda o indivíduo. Somos cópias de modelos construídos nos padrões e ideais da determinada sociedade donde brotamos. Porém somos sementes da sociedade que virá. Daí, despertar as aptidões naturais do indivíduo é imprescindível.

Será impossível construir um mundo cheio de indivíduos desiguais, em habilidades e conceitos, e ao mesmo tempo haver paridade de valores? Ou será necessário destruir afeições, ditas inúteis, para poder valorizar o que é “realmente” importante?

Há uma ideia de comparação, medição mesmo, entre as sociedades contemporâneas. Somos números formatados em planilhas e gráficos; nossos ossos e ofícios seguem o rumo das tabelas coloridas estampadas nos relatórios elaborados por órgãos supranacionais.

Talvez se houvesse um compromisso individual para com a satisfação, o conjunto pudesse desfilar com mais harmonia. A motivação e o incentivo são as bases do aprender bem. Assim, os profissionais da educação, que muitas vezes lá estão por total falta de opção, pudessem ver em seus trabalhos algo mais que cumprir programa. Salário? É fato que boa remuneração ajuda, não só aos professores.
As famílias estão preocupadas como o futuro de seus filhos? Algumas precisam garantir o presente, algumas já estão com o hoje perdido. Filho lavrador, filho servente de pedreiro, filho médico, filho policial, filho professor... ou filho artilheiro do Brasileirão? Questão de aspirações, questão de sonhos, questão de propaganda comercial.

A saúde anda péssima, há séculos. A educação caminha sem rumo, há séculos. A insegurança é constante, há milênios. A vida é dura desde da época das primeiras células de vidas sobre a Terra. Então, a emoção contagiante do sucesso do futebol, é constatação da necessidade do entretenimento na vida humana ( vide o mundo).

Podemos observar os reflexos da educação equivocada quando assistimos os tumultos violentos causados por revanchismos entre torcidas organizadas ( ou não) de times de futebol. O pior, isso acontece até nos países de “alto nível educacional”. A educação mensurada pelos órgãos competentes levam em conta apenas a média de aproveitamento em alguns poucos quesitos.

Qual é a tal educação necessária? Por que há a desvalorização do profissional de ensino ( ensino, pois educação é outra coisa que não há ainda)? Há luz no fim do túnel? Tal luz vem de energia limpa?

Desse modo, seguimos. E seguimos cheios de esperança no futuro do planeta cheio de lixo, vagando pela Via Láctea cheia de lixo, no universo em expansão ou retração, surgido da física ou criado por algum ser divino. 

Divino mesmo, é aquele golaço do tal melhor jogador do mundo.

Juleni Andrade