Pesquisar neste blog

Origem das Visitas

AROLDO FILHO

https://www.facebook.com/DelfosJornal GRUPO AROLDO FILHO NO FACEBOOK

sábado, 26 de novembro de 2011

Clio & Orpheu *


À Marina Maluf


Ele murmurou d’um sono crepuscular:
- “Adonde vais pelos confins do Esquecimento,
A erigir cinzas, ruínas do Firmamento,
Sem que possa em vós a Dor infinda calar?”

Ela retrucou d’um furioso devorar:
- “Venho dos turbilhões, dos sonhos e dos ventos,
Das lembranças, dos rumores que outrora o tempo
Ecoou pelos cantos do silenciar”.

E num bardo, eles rumaram ao horizonte,
Amaram-se nas águas do triste Aqueronte,
Sabendo então que a Noite é fria e tumular.

Pobres argonautas nas vagas do Mistério...
Níveos vapores nas brumas d’um cemitério
Seguem doravante no brilho do luar.



* PASSOS, Gleudson. “Clio & Orpheu” IN: Melancholia – Fortaleza: Casa de José de Alencar-UFC/Edições Academia da Incerteza, 1999.