Pesquisar neste blog

Origem das Visitas

AROLDO FILHO

https://www.facebook.com/DelfosJornal GRUPO AROLDO FILHO NO FACEBOOK

terça-feira, 8 de março de 2011

SEPARAÇÃO

Quanto mais a busco, ela de mim se oculta,
Se quanto mais a nego, ela retorna aos brados.
Assim cativo o que aos poucos me sepulta,
E assim trago-a constante em meus enfados.

Quanto mais a sorvo, mais lúcido me torno.
Se nela falo de amor, não é dela que vos digo.
E ela reside em quase tudo que adorno,
É ela quem verseja os anseios que lobrigo.

Como é possível desvencilhar-me desse fado
Se nela ora eu me levanto, ora me acabo,
E por horas ela transporta-me ao passado.

Como é possível, nessa tortuosa eucaristia,
Sair ileso sem que se doa nenhum lado?
Como é crível, Deus, separar-me da poesia?